exile…

toda essa atividade necessária para perpetrar um meme acabou me trazendo lembranças de outros tempos, tempos em que cecília passava ao meu lado boa parte do dia. ela e outros. desse tempo, exilei-me, como exilei-me, também, de outros tantos assuntos que, hoje, a função a que o meu amigo roça me obrigou (carinhosamente, devo confessar) me trouxe de volta, fazendo-me sentir um pouco as sensações vividas outrora.

como eu não me canso de dizer, isto aqui é um blog político. apenas que eu junto o útil ao agradável. transcrever poemas é uma espécie de clamor contra a ignorância que assola esta combalida nação. de filhos imperfeitos, claro, mas filhos seus. quanto menos comentários são feitos em um post, maior é a minha convicção de que meu protesto está surtindo efeito.

e por estar voluntariamente exilado de tempos e assuntos, deixo aqui hart craneum testemunho de que eles nunca me abandonaram. ele vem de um poema de harold hart crane. nascido em ohio, estados unidos, em 1899, hart crane era filho de um abastado industrial do ramo de confeitos. para quem conhece, seu pai foi o inventor das pastilhas life saver. homossexual assumido, tornou-se alcoólatra e terminou por se suicidar, em 1932, por achar que jamais seria feliz em um mundo machista. entretanto, sua lírica o tornou bastante conhecido no meio literário americano. em exile, ele exprime parte da angústia que o levou à morte no golfo do méxico. como sempre, o bom poema não é aquele que diz o que o poeta sentia quando o escreveu, mas o que faz o leitor se sentir como se fosse ele o seu autor… aqui está exile:

my hands have not touched pleasure since your hands, —
no, — nor my lips freed laughter since ‘farewell’,
and with the day, distance again expands
voiceless between us, as an uncoiled shell.

yet, love endures, though starving and alone.
a dove’s wings clung about my heart each night
with surging gentleness, and the blue stone
set in the tryst-ring has but worn more bright.

(Hart Crane)

One Response to “exile…”

  1. Vim conhecer seu blog, gostei muito deste post, não conhecia este poeta, obrigada por me fazer conhecê-lo. Voltarei com mais calma para conhecer melhor teu espaço, que me parece bastante cultural. Um grande abraço e obrigada pelas visitas ao “Jardin”.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: