canção…

se de novo passares,
não procures por mim.
preservemos o fim
dos saudosos olhares.

bem sei que a noite e os rios
engendram muita flor
parecida com o amor,
em seus ermos sombrios.

mas nem penso aonde vais.
adormeço nos prados
com os lábios ocupados
no néctar do jamais.

um tempo sem fronteiras
se abriu diante de nós.
quando tiveram voz
as verdades inteiras?

aí, talvez, noutro instante
chegue perto de ti,
para ver que perdi
minha alma antiga — e cante.

talvez chegue, talvez,
mas que não seja agora,
quando quem foste chora
aquilo que não vês.

uma vaga canção
cantarei com doçura,
e será morte escura
sobre o meu coração.

(Cecília Meirelles)

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: