apparição…

aquentalo açoreano antero tarquínio de quental, nasceu em 1842. estudou em coimbra e envolveu-se em polêmicas diversas com alguns de seus contemporâneos. quental tinha uma personalidade um tanto difusa e seu estado de espírito era dado a repentinas transformações entre a euforia e a depressão profunda. em uma dessas crises, suicidou-se num banco de jardim no ano de 1891.

apparição

um dia, meu amor (e talvez cedo,
que já sinto estalar-me o coração!)
recordarás com dor e compaixão
as ternas juras que te fiz a medo…

então, da casta alcova no segredo,
da lamparina ao tremulo clarão,
ante ti surgirei, espectro vão,
larva fugida ao sepulcral degredo…

e tu, meu anjo, ao ver-me, entre gemidos
e afflictos ais, estenderás os braços
tentando segurar-te aos meus vestidos…

–«ouve! espera!»–mas eu, sem te escutar,
fugirei, como um sonho, aos teus abraços
e como fumo sumir-me-hei no ar!

(Antero de Quental)

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: